Fabrico Próprio no Peixe em Lisboa

FabricoProprio

 

 

Fabrico Próprio no Peixe em Lisboa 2015
3 Sessões dedicadas à pastelaria semi-industrial portuguesa
14, 15 e 17 de Abril 2015

A convite da organização do Peixe em Lisboa o projecto Fabrico Próprio regressa ao Terreiro do Paço em 2015. Depois da galeria de bolos na Arcada Sul da Praça do Comércio de 28 de Setembro a 15 de Novembro de 208, voltamos com duas sessões para falar sobre design e pastelaria e apresentas novos bolos de Fabrico Próprio. Temos ainda a honra de voltar a integrar o júri do concurso O Melhor Pastel de Nata.

 

14 Abril
15h – Auditório Silampos
O Design da Pastelaria Semi-Industrial Portuguesa

Como inovar, repensar e recriar não só os bolos, mas também as pastelarias de todos os dias? Nesta sessão interessa-nos revelar como é que o design, que tantas vezes é erradamente visto como apenas  “a cereja no topo do bolo”, pode contribuir para que estes produtos possam ser mais bem pensados, projectados, produzidos e disfrutados. Nesta conversa moderada pela designer, investigadora e blogger Suzana Parreira discutimos como é que o design pode ser aplicado no dia-a-dia da pastelaria – da fórmula de um Pão de Deus à cadeira de uma esplanada. Convidámos os fundadores de dois negócios inovadores da pastelaria e restauração da área de Lisboa – o Nuno Carvalho d’A Padaria Portuguesa e a Ana Faustino do Choupana Caffe – para partilhar connosco o seu conhecimento, experiência e perspectivas sobre o futuro deste sector.

Participantes
Rita João e Frederico Duarte Fabrico Próprio
Nuno Carvalho A Padaria Portuguesa
Ana Faustino Choupana Caffe
Suzana Parreira Gourmets Amadores

 

15 Abril
Prova O Melhor Pastel de Nata
15h – Auditório Silampos

Ao longo de quase 10 anos de pesquisa do projecto Fabrico Próprio descobrimos que o auge da carreira de um profissional da pastelaria são não o que chamamos bolos de fabrico próprio mas sim, mais até do que bolos de aniversário e casamento, construções de açúcar ou de chocolate. Estes são os bolos que ganham prémios, que enchem o olho, que distinguem uma casa.

Mas não são eles o ganha-pão dos pasteleiros. Os bolos que nos interessam são outros, mais pequenos e discretos, os que nos habituamos a ver todos os dias, mas que frescos e criativos, garantem o sustento dos pasteleiros portugueses. E também da nossa gastronomia, economia e cultura.

O Pastel de Nata é um bom exemplo disso. Para muitos pode já parecer definido, resolvido, perfeito. Ao longo dos últimos tempos tem sido tão procurado e apreciado que se tornou num ex-libris de Lisboa, num símbolo nacional, no embaixador da pastelaria portuguesa. Mas qualquer pasteleiro sabe que há sempre onde melhorar, aperfeiçoar, para fazer o melhor pastel de nata. E esse muito a fazer não se aplica apenas a um, mas a muitos e muitos dos pastéis que todos os dias saem dos seus fornos. Que são feitos com uma receita, um preceito, um projecto. Daí que o concurso do Melhor Pastel de Nata é importante não só para os pasteleiros de Lisboa, mas para todos os admiradores e consumidores de pastelaria portuguesa: revela que não há uma tradição estanque, um pastel ideal ou um projecto concluído. É por isso que temos um grande orgulho em participar em mais um júri do Melhor Pastel de Nata, no dia 15 de Abril.

Esta prova, organizada pela Confraria do Pastel de Nata, conta com algumas das mais famosas casas da cidade, que conferem uma assinatura muito própria a este pastel emblemático do país e que, cada vez mais, tem reconhecimento internacional. Depois de em 2013 ter sido a Rita João a integrar o júri desta prova em nome do projecto Fabrico Próprio, este ano será o Frederico Duarte a desempenhar esta muito árdua missão.

Membros do júri O Melhor Pastel de Nata 2015

  • Virgílio Gomes Gastrónomo (presidente do júri)
  • António Marques Chefe Pasteleiro
  • Domingos Soares Franco Enólogo
  • Cristina Castro No Ponto
  • Frederico Duarte Fabrico Próprio
  • Manuel Rasteiro Entidade Regional de Turismo de Lisboa

17 Abril
Novos Bolos de Fabrico Próprio – Libertina
Apresentação, demonstração técnica e degustação

Em 2008, a propósito da primeira edição do livro Fabrico Próprio, organizámos um workshop na Sala do Risco, então o Gabinete de Projecto do MUDE, Museu do Design e da Moda Colecção Francisco Capelo, com o objectivo de discutir, pensar e projectar novos bolos de Fabrico Próprio. Durante duas sessões de lanche e conversa, uma equipa composta por designers, mestres pasteleiros, chefs, arquitectos, jornalistas, empresários e um filósofo, discutiu e enunciou algumas recomendações e princípios para a criação de novos bolos.

Estas foram tidas em conta no desenvolvimento de seis novos projectos de bolos, onde foram também contemplados processos e ingredientes acessíveis a qualquer unidade de fabrico de pastelaria semi-industrial. Assim, qualquer destes novos bolos poderia ser facilmente adoptados por pasteleiros em todo o país e mesmo por pasteleiros portugueses no estrangeiro.

Estas novas propostas foram prototipadas pelos alunos do curso de Pastelaria Avançada da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste sob a orientação do mestre Paulo Santos e apresentadas numa exposição organizada na galeria da Sala do Risco em 2008. Desde então temos vindo a trabalhar nestes novos bolos com o mestre Paulo Santos de modo a apurar formas e receitas.

Um destes novos bolos é a Espetada. Introduz novas formas de pensar, comer e partilhar sabores, ingredientes e ideias de pastelaria, que preparámos com o mestre Paulo Santos pela primeira vez em 2013 para uma degustação pública. Fizemo-lo para festejar o 105º e 106º aniversário de Maria Helena Vieira da Silva na festa do Museu da Fundação Arpad Szènes-Viera da Silva, com um bolo de aniversário composto por 240 espetadas, cada uma com três cubos de massa “quatre quart” de diferentes sabores.

Um outro é a Libertina, a apresentar no dia 17 de Abril no Peixe em Lisboa numa demonstração técnica ao vivo com degustação, pela mão do mestre Paulo Santos e comentada pela equipa Fabrico Próprio onde contaremos a origem e histórias destas receitas que gostariamos de ver em breve nos balcões das pastelarias portuguesas.

As fichas técnicas, preparadas pelo mestre Paulo Santos, para a Espetada, Libertina e as outras novidades propostas para a pastelaria nacional — Pagode, Vulcão, Papiro e Estreitinho — serão partilhadas em breve no site www.fabricoproprio.net para que todos os profissionais da pastelaria que estejam interessados possam experimentar estas novas receitas e por à prova estes novos bolos pelos balcões de norte a sul.

Participantes

  • Paulo Santos Mestre pasteleiro, Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, Forno do Beco
  • Rita João, Pedro Ferreira e Frederico Duarte Fabrico Próprio

 


Entradas
As três sessões Fabrico Próprio no Peixe em Lisboa têm entrada paga de acordo com a bilheteria do evento. Mais informação em: http://www.peixemlisboa.com/pt/bilheteira

Entrada de 1 Dia: €15
Esta entrada é válida para uma pessoa para qualquer um dos dias do evento. Inclui acesso ao Mercado Gourmet e possibilidade de participação nas atividades paralelas (aulas de cozinha, apresentações de cozinha ao vivo, provas de vinho comentadas e “Conversas sobre o Vinho”, debates e outras sessões), à exceção das harmonizações, que apresentam um custo acrescido.

Uma entrada de um dia dá ainda direito a:
– 1 degustação de 5€
– 1 bebida de 1,5€
– 1 copo para prova

De 2ª a 6ª feira, das 12h às 15h, uma entrada de um dia dá direito a:
– 2 degustações de 5€ cada
– 2 bebidas de 1,5€ cada
– 1 copo para prova

Condições especiais para alunos e docentes de escolas de design apenas nos dias das sessões Fabrico Fabrico Próprio no Peixe em Lisboa

– Entrada de 1 Dia: 5€.

À semelhança das condições especiais para os alunos e docentes de escolas de hotelaria e turismo, a compra destas entradas só está disponível no local do evento, mediante a apresentação de cartão de estudante/professor. Este valor não dá direito a senhas de degustação, bebidas ou copos de prova.

 

Cartaz / Convite

Tal como nas anteriores acções de divulgação do projecto e do livro Fabrico Próprio, em que convidámos o Atelier Carvalho Bernau (lançamentos Lisboa, Porto, Estocolmo e Londres 2008), a Editora Planeta Tangerina (lançamentos no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova Iorque em 2012), a designer/ilustradora Maria Nogueira (lançamento em Berlim em 2013) para nos fazer o postal/convite, este ano convidámos o atelier de tipografia e edições O Homem do Saco para preparar uma edição limitada de 100 cartazes, todos diferentes.

Durante o Peixe em Lisboa estaremos a vender um número limitado de exemplares autografados do livro Fabrico Próprio num pack exclusivo com um preço especial, o qual inclui todos os postais/convites relativos a acções passadas do projecto Fabrico Próprio e o cartaz de divulgação para as sessões no Peixe em Lisboa pelo atelier O Homem do Saco.

Leave a Reply