13 Replies to “Claudino”

  1. Claudinos, Éclaires e Pastéis de nata,não há como os da Pastelaria Fidalgo´s na Moita, exprimentem e depois digam se não tenho razão.

  2. É verdade! Claudinos dos Fidalgos não há melhores!! Os do Capote também são bons! Afinal têm a mesma origem!

  3. O doce que a memória popular apresenta como genuíno produto da vila da Costa de Caparica dá pelo nome de “Claudino” e era tradicionalmente fabricado pelo extinto Costa Nova, café e pastelaria que fez época na Costa de Caparica e cujo nome homenageava a origem de muitos ílhavos, logo, região de Aveiro. Daí que se não estranhe que um dos principais ingredientes dos “Claudinos” seja o doce de ovos.Mais para o norte do país tambem he dão o nome dos “caparicanos”. Mas são óptimos e morninhos entao são qualquer coisa de magnífico! 😉

  4. E para que se complete a história deste magnífico bolo e de outros (garibaldis e pastéis de laranja especiais), informo para quem não sabe e relembro a quem souber, que estes bolos eram especialidade da antiga pastelaria “Papo-Seco” que se situava na esquina da Rua dos Pescadores, na Costa de Caparica. Quando esta casa fechou, estas receitas passaram a ser confecionadas pela pastelaria “Costa Nova” no edifício mesmo em frente do antigo “Papo-Seco” e, mais recentemente e até hoje, pela pastelaria “O Capote” também na Costa de Caparica, agora na mesma Rua dos Pescadores.

  5. A versão do Abel da Gama é mais correta que a versão da Patricia. Foi na Pastelaria CHIC, conhecida como o Papa-Seco,que começou a fazer estes bolos e o creme não é doce de ovos, mas Creme Pasteleiro, posteriormente e como o Abel diz, passaram a ser feitos na Costa Nova. Trabalhei nas duas e passei a fazê-los na Moita na década de Setenta ainda antes do Capote, portanto meus amigos mais uma achega para a história destes bolos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.