8 Replies to “Babá”

  1. … e os da Tofa?!
    Não há como os bábás da Tofa.
    Iguais a si próprios há pelo menos 30 anos.

    Nos tempos da faculdade, juntava os tostõezinhos todos durante uma semana, e depois de deitar olhares gulosos às montras da Papelaria Fernandes e da Progresso, ia derreter-me a comer um bábá.

    Aquela visão, de que o chantili fizera explodir a massa ensopada em calda de rum, fazia, e faz-me ainda hoje, crescer água na boca!
    Era demorar tempo a descobrir o gosto da massa na tampa que saltara, a confirmar o gosto do chantili, a cortar cada fatia sem perder uma gota da calda. Era juntar tudo na boca… e chegar ao céu!

    Por mais que a balança me diga que não é boa ideia, não consigo ir à Baixa de Lisboa, sem ser arrastada para dentro da Tofa.
    Peço um bábá e o sabor de sempre está ali, inalterado. Perfeito.
    É como se todos os bábás da Tofa que comi, fizessem parte duma produção eternamente continuada e cada um deles fosse a réplica do primeiro.

    Sem desprimor para os bons bábás de Portugal inteiro, para mim, há bábás de rum e há o Bábá da Tofa.

  2. Experimentem os babás da Pastelaria Ribatejo, no Entroncamento e vão comer e chorar por mais!!Com azeite…

  3. SONHO EM FAZER CURSO DE GASTRONOMIA PORTUGUESA….PARABENS.POR ENQUANTO VOU SONHANDO.AQUI ONDE MORO NOS CONFINS DO AMAZONAS.BEIJOS PARABENS.LINIA

  4. E os do cafe Roma, sem eskecer os outros mas os do roma…eeram fantasticos, no tempo da faculdade kando vivia em Lisboa, nao perdoava…agora vivo no funchal e sempre ke vou a lisboa, como ja nao ha o roma, vou a Tofa ou a Mexicana…ke loucura toda a kela calda e chantily…e Vivam os Bábás!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.